Página Inicial » Frases de Livros » Frases do Livro O Sol na Cabeça

Frases do Livro O Sol na Cabeça


O Sol na Cabeça é um livro de contos e ficção, uma literatura brasileira do autor Geovani Martins. Lançamento 2018. Frases do Livro O Sol na Cabeça


Frases do Livro O Sol na Cabeça


“Acontece que dessa vez seu mundo girava de maneira diferente.”
— O Sol na Cabeça


“As pessoas costumam dizer que morar numa favela de Zona Sul é privilégio.”
— O Sol na Cabeça


“As pessoas passavam, parecia que elas sentiam sempre pena de mim, ou raiva, sei lá.”
— O Sol na Cabeça


“Assim como a grande maioria das pessoas, sentia a necessidade de não passar batido pelo mundo.”
— O Sol na Cabeça


“Até então tava geral na merma meta: duro, sem maconha e querendo curtir uma praia.”
— O Sol na Cabeça


“Calote pra nós é lixo, tu tá ligado, o desenrolo é forte.”
— O Sol na Cabeça


“Começava a entender com clareza meus movimentos, decifrar os códigos dos meus instintos.”
— O Sol na Cabeça


“De qualquer forma, um filho sempre muda a pessoa.”
— O Sol na Cabeça


“De um momento pro outro tudo se desfaz, tudo desaba, e ficamos sozinhos frente ao abismo que é a outra pessoa.”
— O Sol na Cabeça


“E eles lá, panguando, achando que o bagulho é Disneylândia.”
— O Sol na Cabeça


“Ele falou pra eu não perder nunca minha fé em Deus.”
— O Sol na Cabeça


“Era estranho, até engraçado, porque meus amigos e eu, na nossa própria escola, não metíamos medo em ninguém.”
— O Sol na Cabeça


Página Inicial » Frases de Livros » Frases do Livro O Sol na Cabeça



“Assim como a grande maioria das pessoas, sentia a necessidade de não passar batido pelo mundo.”


“Esses moleque gosta muito, papo reto, nunca vi! Dez da manhã, um sol da porra, e eles metendo a nareba.”
— O Sol na Cabeça


“Esses polícia é tudo covarde mermo.”
— O Sol na Cabeça


“Foda é que ninguém mais quer saber de napo, bagulho agora é só smoking.”
— O Sol na Cabeça


“Há tempos já tinha me abstraído da humilhação, e até mesmo da vingança.”
— O Sol na Cabeça


“Já tava dado que o dia ia ser daqueles que tu anda na rua e vê o céu todo embaçado, tudo se mexendo que nem alucinação.”
— O Sol na Cabeça


“Manda quem pode, obedece quem tem juízo.”
— O Sol na Cabeça


“Mó saudade daquele filho da puta, na moral.”
— O Sol na Cabeça


“Não entendia bem o que sentia.”
— O Sol na Cabeça


“O caô era que ele queria ficar morgando em casa invés de partir com nós.”
— O Sol na Cabeça


“O pior é que eu nem lembro de nada.”
— O Sol na Cabeça


“Os menó ficaram de bobeira comigo.”
— O Sol na Cabeça


Página Inicial » Frases de Livros » Frases do Livro O Sol na Cabeça



“Manda quem pode, obedece quem tem juízo.”


“Pensei pela primeira vez se amizades que construímos na adolescência são capazes de sobreviver à vida adulta.”
— O Sol na Cabeça


“Quando eles tão sozinho, olha pra tu tipo que com medo, como se tu fosse sempre na intenção de roubar eles. Aí quando tão de bondão, eles olha tipo que como fosse juntar ni tu. É foda.”
— O Sol na Cabeça


“Quer ficar conversando durante horas, falando sobre responsabilidade e mais um monte de merda.”
— O Sol na Cabeça


“Queria entrar pra história desse jeito, ser lembrado e respeitado pelas pessoas certas.”
— O Sol na Cabeça


“São pessoas que vivem num mundo que não conheço.”
— O Sol na Cabeça


“Se estou viva, é mesmo graças a Deus.”
— O Sol na Cabeça


“Sempre me senti profundamente incomodado com esses silêncios inexplicáveis. É sempre como se alguma coisa estivesse rompendo.”
— O Sol na Cabeça


“Só o Senhor é Deus!”
— O Sol na Cabeça


“Tava com tanta certeza que tinha rodado que começou até a pensar em Deus.”
— O Sol na Cabeça


“Tinha dois menó ali perto de nós com mó cara de quem dá um dois.”
— O Sol na Cabeça


“Tu tá ligado que se apertar no talento dá até pra cortar no meio e fazer duas.”
— O Sol na Cabeça


Página Inicial » Frases de Livros » Frases do Livro O Sol na Cabeça



“Queria entrar pra história desse jeito, ser lembrado e respeitado pelas pessoas certas.”


“Tua hora vai chegar! Todo mundo tem a sua hora.”
— O Sol na Cabeça


“Vários pulmão de aço no bagulho e nenhuma seda.”
— O Sol na Cabeça